Maioria dos Jornais Europeus Cobram pelos Conteúdos Disponibilizados Online: Estudo

Julho 2, 2017 • Negócio, Últimas • by

A maioria dos jornais diários e semanários europeus estão a utilizar um sistema de paywall enquanto as receitas tradicionais continuam a diminuir e a publicidade digital se move cada vez mais para as grandes empresas de tecnologia, revela um estudo do Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo.

Os investigadores descobriram que 66% dos jornais e quase três quartos (71%) de publicações semanais e revistas de informação utilizam algum tipo de modelo de pagamento de acesso, incluindo freemium, metered paywall ou hard paywall. No entanto, todos os organismos de radiodifusão e a maioria dos sites nascidos digitalmente oferecem acesso gratuito às suas notícias.

A ficha informativa do Instituto Reuters Pay Models in European News analisa a disseminação de modelos de pagamento de acesso em 171 das grandes instituições de informação, incluindo emissoras, organizações de informação nativas do mundo digital, jornais diários e semanários, pertencentes a seis países europeus (Finlândia, França, Alemanha, Itália, Polónia e Reino Unido).

Principais conclusões:
1. A maioria (66%) dos jornais e cerca de três quartos (71%) de jornais semanais e revistas de informação utilizam algum tipo de paywall;
2. Todos os organismos de emissão oferecem acesso gratuito às suas notícias digitais. Isso inclui tanto as emissoras do sector privado quanto os meios de comunicação de serviço público;
3. Quase todos (97%) os meios digitais de informação oferecem acesso gratuito às suas notícias;
4. O preço médio da assinatura mensal mais barata disponível (em todas as organizações que operam segundo um qualquer modelo de paywall) é de € 13,64 (£ 11,56). Os preços variam de € 2,10 (£ 1,78) a € 54,27 (£ 46) por mês;
5. A média nacional mais elevada é a do Reino Unido (22,26 € (18,87 libras)) e a mais baixa a da Polónia (7,21 euros (6,11)).

Os desenvolvimentos diferem de país para país:
1. Uma parte muito maior de jornais diários e semanários na Finlândia (87%), França (95%) e Polônia (90%) adoptaram modelos de pagamento;
2. Em contrapartida, tanto na Itália como no Reino Unido, a maioria dos jornais e semanários da nossa amostra continua a oferecer acesso gratuito às suas notícias digitais. Na Alemanha, quase metade (48%) dos jornais diários e semanários da nossa amostra oferecem acesso gratuito.

The Times, Reino Unido, paywall

O autor principal, Dr. Alessio Cornia, afirmou: “Achamos que a maioria dos jornais e revistas de informação em toda a Europa estão a afastar-se das notícias digitais oferecidas gratuitamente e suportadas principalmente pela publicidade, cultivando uma gama mais ampla de fontes de receita, incluindo vários pay models. No entanto, é evidente que outros tipos de organizações dos Media, especialmente os organismos de emissão e os meios de comunicação digitais de informação, ainda disponibilizam gratuitamente os conteúdos digitais disponibilizados online”.

A Dra. Annika Sehl, co-autora do estudo, disse: “Os modelos de pagamento são particularmente difundidos em mercados como a Finlândia, que são dominados por um número limitado de operadores históricos muito poderosos, assim como naqueles países com mercados de publicidade digital muito reduzidos, como a Polónia. Nos mercados mais competitivos, com proporções publicitárias superiores, como o do Reino Unido, a maioria dos conteúdos de informação digital ainda está disponível gratuitamente”.

O Diretor da pesquisa, Dr. Rasmus Kleis Nielsen, acrescentou. “À medida que o mercado de publicidade na esfera digital vai crescendo e sendo cada vez mais desafiante, é encorajador ver que mais e mais organizações de notícias estão experimentando novos modelos de negócios para custear as notícias. “Convencer as pessoas a pagar por notícias digitais é difícil e será um processo lento, mas já vemos sinais encorajadores de que pessoas de todas as faixas etárias, incluindo os utilizadores mais jovens, estão dispostos a pagar por conteúdo e serviços de qualidade on-line que acham valiosos e úteis”, disse Kleis Nielsen.

Faça download do Estudo: aqui.

Créditos: Flickr CC, Standaard, Peter Forret

Print Friendly, PDF & Email

Send this to friend