Estudo Checo: Media Sociais como fonte jornalística?

Dezembro 1, 2014 • Social Media • by

Os jornalistas afirmam muitas vezes que os Media Sociais, tais como o Twitter e o Facebook, se tornaram relevantes fontes de notícias. Mas tê-los-ão? Investigadores da Charles University, situada em Praga, estudaram os Meios de Comunicação checos para perceber em que medida os métodos jornalísticos tradicionais estão a ser substituídos pelas plataformas dos Media Sociais. Aperceberam-se que, apesar do uso crescente de fontes digitais, o seu impacto na Informação mainstream é ainda relativamente baixo.

A maioria dos anteriores estudos sobre Media Sociais e Informação foi realizada na Europa Ocidental e nos EUA. Até agora, os resultados têm sido contraditórios. O estudo checo, desenvolvido pelo grupo PolCoR, pertencente à Faculdade de Ciências Sociais da Charles University, pretendeu apresentar uma nova perspectiva. Em vez de olhar para o impacto dos Media Sociais durante eventos informativos específicos, os investigadores optaram por uma abordagem diferente. Václav Štětka, líder do Grupo PolCoRe, afirmou: “escolhemos deliberadamente um período em que não existissem eleições e em que não se previsse que qualquer evento significativo viesse a ocorrer. Deste modo, os nossos dados reflectem melhor o modo como os Meios de Comunicação checos trabalham sob circunstâncias normais”.

Imprensa Tablóide refere-se mais frequentemente aos Media Sociais que as demais publicações

Os investigadores Václav Štětka e Radim Hladík analisaram as seções de notícias dos Meios de Comunicação checos mais proeminentes: quatro Jornais (Blesk, Mladá fronta Dnes, Hospodářské noviny e Právo); três emissoras de Televisão (a emissora pública Česká televize e as emissoras privadas Nova e Prima); e três estações de rádio (a emissora pública Český rozhlas e as emissoras privadas Impuls e Frekvence 1). De Abril a Setembro de 2013, a equipa seleccionou, com periodicidade semanal e de modo aleatório, um total de 747 artigos, cada um dos quais contendo, pelo menos, uma referência ao Facebook, Twitter ou YouTube.

A maioria das referências a Meios de Comunicação Sociais foi encontrada no jornal tablóide Blesk, assim como no Mladá fronta Dnes. No entanto, mesmo nestas publicações, o número de referências foi muito baixo; as referências ao Facebook, ao Twitter ou ao YouTube ocorreram apenas uma vez a cada três dias.

Os Media Sociais foram explicitamente mencionados como fonte de informação em 58% dos 747 artigos, em 38% foram o tema da notícia (a informação era sobre o Facebook, o Twitter ou o YouTube) e em 4% foram, concomitantemente, a fonte e o tema.

Os Meios de Comunicação Sociais enquanto fonte foram utilizados com maior frequência pelo tablóide Blesk (40% de todos os artigos mencionavam como fonte os Meios Sociais), seguido por outros jornais diários, tendo as estações de rádio e de televisão ocupado os últimos lugares de referenciação.

Os investigadores repararam numa diferença interessante quanto às atitudes dos Meios de Comunicação Tradicionais ante o Facebook e o Twitter. Enquanto o Facebook foi mencionado como uma fonte e como assunto num número similar de artigos, o Twitter foi citado enquanto fonte de modo significativamente mais frequente (em muitos casos, como fonte primária para o tópico).

Os Media Sociais são mais usados nas soft news

A análise também demonstrou que os Media Sociais são usados enquanto fonte – simultaneamente fonte de texto e de informação pictórica – em temas como o Desporto, Celebridades ou Crime – apelidados de soft news. Isto aplica-se a todos os Meios examinados, excepto o jornal financeiro Hospodářské noviny e a estação de rádio pública Český rozhlas, que utilizaram os Media Sociais como fonte de notícias mais sérias e em actualização (hard news).

Os investigadores também tentaram perceber o modo como os Meios seleccionados trabalham as informações oriundas dos Media Sociais. Eles observaram que o tipo de indivíduos citados através do Facebook ou do Twitter (e do YouTube, mas numa medida insignificante) foram: desportistas (sendo que 34% dos artigos mencionavam os Media Sociais enquanto fonte), seguidos por “pessoas comuns” (24%), celebridades (15,5%) e políticos (15,2%).

A percentagem bastante elevada da vox populi poderia indicar que os Media Tradicionais estão mais abertos a vozes não-elitistas. No entanto, tem de ser salientado que os “cidadãos comuns” foram citados apenas no âmbito de temas ligados ao Crime, não tendo qualquer oportunidade de comentar temas políticos ou económicos.

“A análise veio demonstrar que o papel dos Media Sociais, enquanto fonte de informação para os Meios Tradicionais checos, é ainda bastante periférico; também indicou que os Media Sociais contribuem para a tendência de tabloidização da Imprensa, uma vez que quase nunca são usados como uma fonte de hard news”, disse ram Václav Štětka e Radim Hladík.

Parece então que nenhuma revolução teve lugar nas redacções até agora; os Meios de Comunicação Tradicionais mantiveram sua posição única enquanto gatekeepers.

“Tal não significa não existir espaço para os Media Sociais em determinadas circunstâncias e que as teorias que enfatizam a transformação do modelo tradicional de jornalismo não são relevantes,” disse Václav Štětka. “No entanto, na vida diária de redacções checas, prevalecem as rotinas fortemente enraizadas.”

Este artigo foi publicado pela primeira vez na edição checa do EJO

Traduzido da versão Inglesa.
Créditos da foto: Flikr Esther Vargasc

Print Friendly, PDF & Email

Tags:, , , ,

Send this to friend