Investigação sobre Media: Quantidade ou Qualidade?

Novembro 10, 2014 • Investigação • by

Ocasionalmente os investigadores tornam-se conscientes da insanidade da “produtividade” académica. O sistema de publicar ou morrer a que os jovens investigadores são submetidos e competição brutal que têm de enfrentar. Thomas Hanitzsch, da Universidade de Munique, publicou um ensaio onde lamenta as consequências absurdas do “standard dourado” da produtividade da investigação.

Hanitzsch reporta que foram publicados 4800 artigos no campo dos estudos da comunicação em 2012, o que representa um aumento de 470% face a 1999, comparando com os 980 artigos então publicados.

Apesar disso, a criação de novo conhecimento no campo dos estudos da comunicação não aumentou cinco vezes, desde 1999, segundo Hanitsch, que integra uma equipa internacional que conduz o projeto de pesquisa Worlds of Journalism, cujo objetivo é comparar as culturas jornalísticas em 21 países diferentes.
Em vez disso, Hanitzsch argumentou, na edição de outubro do Journalism Studies, que o tempo e esforço para canalizar o fluxo de publicações e para separar os bons artigos dos maus artigos multiplicou. Ele também salientou que nem todos os artigos submetidos para publicação estão a ser publicados.

Hanitzsch, que também edita a Communication Theory, escreveu que muitos colegas estão a confirmar “off the record”: os processos de seleção não são de confiança. Muitos deles também acreditam que os factores de impacto e as estatísticas de citações não deveriam ser confundidos com qualidade científica, uma vez que estas medidas quantitativas não revelam nada sobre a pesquisa em si. Infelizmente, as falhas no sistema de peer review afetam não só as publicações, mas também influenciam a forma como os dinheiros públicos são gastos em investigação.

Hanitzsch apenas erra num ponto. Ele escreve que a ciência está “a ser cada vez mais governada por uma logica economicista”. Aqui, ele acusa falsamente os economistas. O seu trabalho consiste em canalizar recursos preciosos para os projetos mais promissores. O sistema de investigação, no entanto, sofre de demasiada burocracia nas universidades, irresponsabilidade organizada, e um sistema de tomada de decisões que não é transparente. Quando é que outros investigadores da área de media e cientistas sociais acordaram finalmente para esta questão?

Créditos imagem: Flikr sualk61

Traduzido do original em inglês.

Print Friendly, PDF & Email

Tags:, ,

Send this to friend